O Segredo “Censurado” Para Atrair O Que Se Deseja

Conversando com meu pai, Juan Ribaut, ele me disse que a coisa mais importante para se fazer na vida é “Aprender a Ver o que a gente está Vibrando. Isto nos daria um grande Poder”. E, assim, Aprender a Vibrar corretamente para Alcançarmos o que Desejamos e, resolvi compartilhar este post que ele mesmo escreveu 

O Segredo “Censurado” Para Atrair O Que Se Deseja

img_poder_da_mente

Ultimamente tenho visto muita confusão em relação à “Lei da Atração”, sobre “O Segredo”, pensamentos “positivos” e livros de autoajuda.

Gostaria de fazer algumas reflexões a respeito.

Muitos dizem que estas coisas não funcionam.

E, tenho certeza que os que falam assim não tem tido os resultados que queriam.

Outros dizem que conseguiram coisas, não pelos pensamentos “positivos”, mas porque sabiam o que queriam e agiram para conseguir.

Acreditam que não foi pelo “Segredo”, nem pela “Lei da Atração” ou pelos pensamentos “positivos”, mas pelo seu esforço.

Mas há também os que conseguiram o que queriam e o atribuem à “Lei da Atração” e aos seus pensamentos “positivos”.

Eu gostaria de mostrar por que todos têm razão e, se conseguiram ou não, foi exatamente por terem colocado, consciente ou inconscientemente, a “Lei da Atração” em andamento.

Porém, não souberam como isto aconteceu.

Com isto, quero demonstrar que esta lei não tem exceção.

O que atraímos não é o que pensamos ou acreditamos apenas no consciente, mas, também e fundamentalmente, no inconsciente.

E esta crença normalmente é invisível aos olhos comuns.

Nós atraímos o que “vibramos”, não o que falamos ou pensamos conscientemente.

É ingênuo pensar que por pensarmos “positivamente”, sem mais, vamos conseguir algo.

Como também é igualmente ingênuo pensar que iremos conseguir as coisas apenas com esforço.

Porque, por mais que você se esforce, se suas crenças inconscientes são contrárias ao que parece que você quer, estará com seu esforço remando contra a corrente.

Eis a causa do estresse e das desistências.

Se você não consegue é porque vai contra as crenças mais profundas de seu inconsciente.

Quanto mais pensamentos positivos “parece” você que tem, e mais esforço emprega, mais ativa as crenças inconscientes e mais “vibra” no sentido oposto.

O que quer dizer que mais atrai o que não quer.

Um pequeno exemplo muito comum é em relação ao dinheiro:

Vamos imaginar que uma pessoa quer dinheiro porque está precisando e, começa a pensar “positivamente”: “eu quero dinheiro”.

Mas vamos imaginar, o que também é comum, que possui em seu inconsciente crenças erradas em relação ao dinheiro, como por exemplo:

 

  • Que o dinheiro é “sujo”; 
  • Que todos os ricos são ruins;
  • Que “graças a Deus sou pobre mais honrado”.

Ou tantas outras crenças que foram inseridas em nós desde pequenos.

Por outro lado, junto com o querer dinheiro, tem medo de que falte (o medo é como um ímã, você atrai tudo o que teme).

O que vai acontecer?

Quando se lança a âncora “dinheiro”, ativam-se as crenças que estavam adormecidas no inconsciente e começa-se a “vibrar” contrariamente ao dinheiro.

Assim, em vez de atraí-lo, o repele, porque o que se começa a irradiar, a “vibrar”, no invisível é exatamente o contrário do que se está falando ou pensando.

img_Napoleon_Hill

Napoleon Hill, escritor americano, tem um livro muito famoso que já ajudou milhares de pessoas, inclusive a mim, chamado “Pense e Enriqueça”. Seguramente você o conhece, pois ele está na lista dos 10 maiores Best-Sellers de todos os tempos.

Porém, há um detalhe sobre o livro que talvez você não saiba, assim como eu tampouco sabia na época em que o lia e relia.

Nas primeiras tentativas para editá-lo, o livro não foi aceito no mercado editorial de seu tempo até que Hill aceitou que fosse “censurado”. Assim, retirou-se uma parte do livro.

No entanto, o que foi censurado era a parte mais importante do segredo de que tanto fala o livro.

img_capa_do_livro_Pense_e_Enriqueça

 

Se você já leu “Pense e Enriqueça”, terá percebido que ele fala 24 vezes a palavra “segredo” só no prefácio e sobre a importância de conhecer este segredo, pois todos os que conseguiram feitos importantes, o conheciam.

 

No final do prefácio, ele escreve:

“…toda realização, toda a riqueza ganha, tem seu início numa ideia. Se você estiver pronto para a revelação do segredo, já possui a metade dele; por isso reconhecerá prontamente a outra metade no momento em que esta lhe chegar à mente.”

Mas, e a outra metade?

Ela está no restante do livro, mas com muito mais clareza antes da censura que foi feita antes da edição para poder ser publicado.

E o que foi censurado?

A palavra “vibração”.

Ela foi apagada 37 vezes.

Pode ser que não tenha sido para ocultar a “verdade”, mas, para fazer com que o livro fosse mais vendável.

Seja lá qual foi o motivo, o mal estava feito.

“Vibração” é uma palavra que, sobretudo naquela época, podia dar a impressão de não ser uma publicação “séria”.

Poderia dar a impressão de estar ligada a misticismo, esoterismo… e, não ao resultado de uma pesquisa profunda de mais de 20 anos com os homens mais ricos e influentes da época.

Mas, com certeza, censuraram a palavra mais importante que, se bem entendida, define a “Lei da Atração”.

A atração se explica pela “vibração”.

A pessoa atrai o que “vibra” no invisível.

img_vibração_no_inconsciente

 

Poucos têm um objetivo claro do que realmente querem, com um desejo ardente, que os fazem “vibrar” nesse objetivo.

É nisto que se dá a força da atração, que atrai o objetivo irresistivelmente.

Não adianta querer só no consciente.

Posso pensar positivamente até a exaustão.

Se não atingir o inconsciente, não funcionará.

Uma crença consciente é como uma semente.

Porém, como toda semente, tem que ser plantada para que possa nascer, crescer e dar frutos.

E o solo em que precisa ser plantada para que possa nascer, crescer e dar frutos é o Inconsciente. É onde todas as sementes têm que ser plantadas para que possam “vibrar”.

Um fato no mínimo estranho:

Hoje estamos rodeados de tecnologia que usa frequências, ressonâncias, sintonias, energia, vibrações. E muitas pessoas, entre elas muitos “intelectuais”, têm medo de usar palavras como vibração, pois a colocam no patamar de esoterismos ou superstições.

E acham estranho que pessoas possam se sintonizar com frequências ou vibrações por meio de simples técnicas, como pode ser a chamada Radiestesia.

img_pêndulo

Pensamentos, emoções e sentimentos vibram porque são energia e vibram em frequências especificas.

E assim como a tecnologia é capaz de trabalhar com frequências, usá-las e captá-las com celulares, TV, Internet ou satélites, também o ser humano tem essa capacidade de captar, emitir e sentir tais energias.

 

Ninguém dá aquilo que não tem. E se a tecnologia nasceu do ser humano é porque ele tem dentro dele essa capacidade.

img_tecnologia

Não existe aparelho que se assemelhe ao ser humano. É só saber treiná-lo bem.

Como se pode saber o que uma pessoa está “vibrando” e assim saber o que vai atrair para sua vida pela “Lei da Atração”?

Existem várias formas de ver o inconsciente, o invisível.

Deixando de lado as pessoas que já têm uma sensibilidade fora do normal e o veem naturalmente, há três formas que se podem aprender:

Através da Kinesiologia, do Espelho Mágico e da Radiestesia.

Com as três, podemos ver o que se passa no inconsciente quando ativamos as crenças com alguma “âncora”, que pode ser uma palavra, uma música, perfumes, pessoas etc.

Eu me especializei em Radiestesia e a uso há mais de 40 anos diariamente.

Eu sei que alguns, sobretudo os mais intelectualizados, pensam que usar um pêndulo é no mínimo pouco “científico”. 

Porém, a maior parte das pessoas não sabem qual é o papel dele.

img_imagem_de_pendulo

O papel do pêndulo é simplesmente como o de uma agulha em um sofisticado aparelho científico.

A agulha somente mostra, o aparelho é quem capta o que a agulha mostra.

Assim, um pêndulo somente mostra o que o sofisticado aparelho humano capta.

E, através das vibrações do sistema nervoso e muscular, ele se movimenta segundo convenções.

O ser humano está constantemente captando, emitindo e transformando energias, frequências, vibrações.

Porém, a maior parte do tempo, não temos consciência do que estamos fazendo. São processos inconscientes.

Mas, se nos sintonizamos com algo, já o estamos captando inconscientemente, o que reflete no corpo, modificando-o.

Desta forma, posso saber o que está acontecendo através de um pêndulo (a agulha do aparelho) que vai mostrar por meio de uma convenção.

Da mesma maneira que uma agulha mostra o que o aparelho capta por meio de uns números ou gráficos que também são convenções.

A Radiestesia, como eu a entendo e uso, é um instrumento de autoconhecimento e transformação pessoal como poucos.

É uma ferramenta da mente que tanto a ajuda como a desenvolve.

Mas, existe outra forma de saber o que estamos vibrando.

É o sistema que eu ensino no meu livro “A Imaginação, um Mundo Além da Razão”

“Um método controlado pela razão, aceito pelos instintos, motivado pelas emoções e com a participação do corpo, dos sentidos físicos”.

Dentro de nós, há forças que nem sempre puxam para o mesmo lado.

O intelecto, a emoção, os instintos nem sempre têm os mesmos objetivos.

Quando conseguimos que todas nossas partes trabalhem para o mesmo objetivo, como um todo, sabemos que estamos vibrando em uníssono para alcançar aquilo que queremos.

E conseguiremos isto com decisão, tendo um objetivo claro, com um desejo ardente de consegui-lo e ação.

Essa vibração vai atrair irremediavelmente o que queremos, o verdadeiro sentido do pensamento positivo: ter um objetivo claro e um desejo ardente de consegui-lo.

Vou terminar estas reflexões, da mesma forma como começo e termino meu livro:

“Ao entardecer, olhe para o Céu. Imagine-se fazendo parte deste Universo maravilhoso. E a mente oculta das estrelas mudará sua imaginação singela em uma força criadora capaz de colocar tudo o que a Terra contém aos seus pés. E, então, é só saber o que quer, imaginar e acreditar que o conseguirá.”

img_Juan_Ribaut

Juan Ribaut

 

Juan Ribaut é Filósofo, Psicólogo e Psicanalista. É considerado um dos maiores especialistas em terapia com o uso das formas, o que revolucionou o campo da Radiônica. Ele é autor de diversos livros, entre eles “A Imaginação, um Mundo Além da Razão”.

 

Espero que tenha gostado deste post que trouxe com muito carinho para você e, se estiver interessado neste incrível tema, clique na imagem do Livro para adquiri-lo!

img_A_Imaginação_Um_ Mundo_Além_ da_Razão

 

Grata pela conexão e até o próximo post!